Seleon prevê produzir 1 milhão de doses de sêmen em 2016

RELEASE

↑ clique para ampliar

Seleon prevê produzir 1 milhão de doses de sêmen em 2016

Central de Itatinga (SP) consolida-se no mercado de prestação de serviços

 

Fundada no fim de 2014, a Seleon produziu mais de meio milhão de doses de sêmen em 2015, volume que já coloca a central situada em Itatinga, no interior de São Paulo, no rol das maiores prestadoras de serviços em biotecnologia bovina da America Latina. "O ano de 2015 foi muito importante para a Seleon, pois, com a produção em larga escala, entramos definitivamente para o promissor e relevante mercado brasileiro de prestação de serviços em coleta e processamento de sêmen de touros de corte no Brasil, comemora Bruno Grubisich, proprietário e diretor-presidente da companhia.

A boa experiência de trabalho adquirida no ano passado abre novas oportunidades de negócios à Seleon nesta atual temporada. “Em 2016, esperamos bater a casa de mais de 1 milhão de doses produzidas”, prevê, entusiasmado, o empresário.

Segundo Grubisich, com capacidade de alojamento de 220 reprodutores, a central está preparada para atender uma demanda crescente de touros neste ano. “Desde o fim da estação de monta nas fazendas de corte, em março-abril, estamos recebendo uma grande quantidade de reprodutores, oriundos de vários criatórios espalhados pelo País e também das próprias centrais de genéticas que atuam exclusivamente na comercialização de sêmen e que necessitam de atendimento especializados para os seus raçadores”, diz ele, acrescentando que, em 2015, a empresa contabilizou o ingresso rotativo de 200 touros, tendo virado o ano passado com 100 animais na casa. 

Entre as raças presentes nos piquetes da Seleon, Grubisich destaca crescente presença de touros Nelore com CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção). “É nítido o grande interesse de criatórios de Nelore CEIP pela identificação de touros jovens com grande potencial genético”, avalia.  Essa constatação do dono da Seleon corrobora com os números divulgados pelo Relatório Index 2015 da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), que apontam um “crescimento acelerado” pela procura de sêmen de Nelore CEIP: no ano passado, essa categoria representou 25% (ou 689,5 mil doses) do total de produção de sêmen da raça Nelore das centrais associadas à entidade, de quase 3,4 milhões de doses.  

Ainda de acordo com Grubisich, outra raça em evidência na Seleon é o Aberdeen Angus. Nesse caso, além da grande importância da raça britânica para os projetos atuais de cruzamento industrial realizados no País, o aumento da coleta de sêmen Angus na Seleon reflete a forte desvalorização da moeda brasileira frente o dólar, o que, financeiramente, favorece a produção de sêmen de touros nacionais em detrimento do uso de produtos genéticos importados.  A Seleon, continua o empresário, também computou o aumento de coleta de sêmen de touros de outras raças, sobretudo o Brangus e Senepol.

 

Fertilização In Vitro - Outra novidade deste ano é o início das operações do laboratório de produção in vitro de embriões, instalado na própria Seleon e especialmente projetado para atender grandes projetos de FIV (Fertilização in Vitro). “Nosso objetivo é trazer uma escala relevante para a técnica, visando grandes programas de reprodução, que busquem encurtar os espaços entre gerações com um custo competitivo”, esclarece o empresário.

Histórico - A Seleon Biotecnologia foi inaugurada em setembro de 2014, pelo jovem empresário Bruno Grubisich, que enxergou uma nova oportunidade de negócio no País ao criar uma central de reprodução bovina prestadora de serviço e genuinamente brasileira, com foco nas necessidades do mercado nacional.

Outro ponto forte da Seleon é a sua localização. Está situada em uma área serrana, a 900 metros de altitude e com temperatura amena (média anual de 19 graus Celsius), ou seja, um ambiente ideal para a produção de sêmen de qualidade, tanto de raças zebuínas quanto de animais de origem taurina ao longo de todo ano (como se sabe, raçadores puros de espécies europeias não se adaptam ao forte calor do Brasil Central, dificultando, assim, a produção eficiente de sêmen).  

 

Estrutura - A Seleon conta com uma estrutura altamente moderna e ampla. Possui 9.000 metros quadrados de área construída, em 70 hectares de área total, toda rodeada por eucaliptos. A parte reservada aos touros é estrategicamente divida em cinco módulos circulares independentes, identificados por cores (verde, amarelo, azul e rubro, além do módulo quarentena), para facilitar o manejo – um único cliente pode reunir todos os seus animais no módulo amarelo, por exemplo. Cada módulo possui 40 piquetes, com área de cocho individual coberta. Na área restante, os animais pastejam sobre o capim estrela, espécie escolhida por ser altamente nutritiva e por suportar pisoteio.

 

Todos os módulos convergem para a área de coleta de sêmen, situada em posição central, ao lado do laboratório de processamento e congelamento de sêmen, local que reúne aparelhos tecnológicos de última geração. Com estes equipamentos é possível obter uma análise avançada e criteriosa de cada partida, o que contribui para a maior confiabilidade e qualidade do produto e, consequentemente, para a conquista de resultados de fertilidade superiores.

Informação à Imprensa

Jornalista: Denis Cardoso

(+55) 11 96375-2672/96772-2629

E-mail: deniscardosos@gmail.com