Crawler Detect

Aberta a temporada de coleta intensiva de sêmen na Seleon Biotecnologia | Seleon Biotecnologia

Aberta a temporada de coleta intensiva de sêmen na Seleon Biotecnologia

A Central produziu 1 milhão de doses de sêmen no ano passado, e a estimativa para 2018 é  contabilizar o processamento de 1,5 milhão

Embora as portas da Seleon Biotecnologia estejam abertas o ano todo para o recebimento de touros, é nesta época do ano que a central de Itatinga (SP) passa a registrar um fluxo maior de ingresso de reprodutores para coleta e processamento de sêmen. “Com o fim da estação de monta, março-abril, a central passou por um período de manutenções gerais para, a partir de maio, começar a receber os touros que irão produzir sêmen para a próxima estação”, destaca o pecuarista Bruno Grubisich, proprietário e diretor-presidente da companhia.

Como de praxe, nas fazendas de corte espalhadas pelo Brasil, os primeiros meses do ano são dedicados aos serviços realizados da “porteira para dentro”, ou seja, os pecuaristas trabalharam no planejamento da estação de monta 2018/2019, fechando os grupos de animais contemporâneos, organizando o calendário de inseminações artificiais em tempo fixo (IATF), entre outras ações.

Segundo Grubisich, os produtores de genética estão cada vez mais sintonizados com o calendário reprodutivo, buscando identificar os líderes genéticos com maior antecedência. “Assim, os touros enviados têm maior prazo de adaptação na central, respondendo melhor ao regime intensivo de coleta”, explica. Além disso, no caso das centrais de genética que atuam na comercialização de sêmen, a busca antecipada pelos serviços terceirizados de coleta permite uma reserva estratégica de doses de sêmen para atender os primeiros clientes na próxima primavera, justifica o diretor da Seleon.

O setor de coleta terceirizada de sêmen vem crescendo a passos largos no Brasil, como mostram os números divulgados pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia). Em 2017, este segmento registrou aumento de 24,5%, alcançando 1,3 milhão de doses de sêmen (de leite e corte) coletadas, ante 1 milhão de doses do ano anterior.

Segundo  Grubisich, que também acumula o cargo de diretor de marketing da Asbia, parte deste avanço deve-se ao maior interesse do pecuarista em investir em seus próprios raçadores – muito deles adquiridos em leilões. “Ou seja, os produtores abrem mão dos catálogos de touros das centrais de genética para buscar os serviços oferecidos pelas centrais que trabalham exclusivamente com a coleta e o processamento industrial de sêmen, como é o caso Seleon”, esclarece.

Na avaliação de Grubisich, outro motivo para o crescimento do setor de prestação de serviço é a maior disponibilidade de animais com genética superior, oriundos de diversos programas de melhoramento das mais importantes raças de corte. “Há uma procura crescente de criadores e/ou programas de seleção pelas centrais prestadoras de serviço, com objetivo único de coletar sêmen de touros jovens, selecionados para participar de testes de progênies”, observa.

Exportações - Em paralelo a isto, Bruno Grubisich chama a atenção para o crescimento expressivo na demanda de produtos para exportação para inúmeros países da América Latina. “Nossos vizinhos têm demonstrado um grande interesse na genética brasileira, principalmente zebuína, tanto de corte quanto de leite. Isso reflete o trabalho de seleção bem feito dos criadores locais, cada vez mais alinhados com produtividade e adaptabilidade nas condições tropicais”, destaca.

Primeiro trimestre - Este movimento de antecipação e de renovação de contratos de serviços de coleta de sêmen reflete uma melhora de expectativa do mercado. “Na Seleon tivemos um incremento de 30% na produção do primeiro trimestre de 2018 em relação ao mesmo período de 2017. Acreditamos que o ano de 2018 será de retomada para o setor da pecuária", prevê Grubisich
 

No ano passado, a Seleon produziu cerca de 1 milhão de doses de sêmen, e a estimativa para 2018 é  contabilizar o processamento de 1,5 milhão de doses, prevê Grubisich. Essa expectativa de crescimento na produção reflete a melhora dos principais índices da economia, o permitirá maior investimento em tecnologias, como o uso em larga escala da IATF, setor que contabilizou a venda de 11,4 milhões de protocolos de sincronização no ano passado, 3,5% acima da quantidade registrada em 2016, segundo dados compilados pelo médico veterinário Pietro Braruselli, professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), da Universidade de São Paulo (USP).

Instalações  - Com capacidade de alojamento para  220 reprodutores, a Seleon conta com uma estrutura altamente moderna e ampla. Possui 9.000 metros quadrados de área construída, em 70 hectares de área total, toda rodeada por eucaliptos. A parte reservada aos touros é estrategicamente divida em cinco módulos circulares independentes, identificados por cores (verde, amarelo, azul e rubro, além do módulo quarentena), para facilitar o manejo – um único cliente pode reunir todos os seus animais no módulo amarelo, por exemplo. Cada módulo possui 40 piquetes, com área de cocho individual coberta. Na área restante, os animais pastejam sobre o capim estrela, espécie escolhida por ser altamente nutritiva e por suportar pisoteio.

Todos os módulos convergem para a área de coleta de sêmen, situada em posição central, ao lado do laboratório de processamento e congelamento de sêmen, local que reúne aparelhos tecnológicos de última geração. Com estes equipamentos é possível obter uma análise avançada e criteriosa de cada partida, o que contribui para a maior confiabilidade e qualidade do produto e, consequentemente, para a conquista de resultados de fertilidade superiores em programas de IATF.

 “Damos ênfase no manejo de animais de campo, não cabresteados”, diz Grubisich, que ainda destaca os piquetes sombreados, para conforto térmico dos animais, e o programa nutricional elaborado por consultores especializados, com tratamentos customizados caso a caso. “Tais benefícios resultam na produção de sêmen de qualidade por 12 meses do ano, mesmo para touros de raças europeias”, enfatiza  Grubisich.

 

Informação à Imprensa

Jornalista: Denis Cardoso

(+55) 11 96375-2672

E-mail: deniscardosos@gmail.com

 

Endereço da Seleon Biotecnologia: 

Estrada Manuel Rodrigues de Barros,

km 8,5, Itatinga-SP

Telefone: (14) 3014-9144.

Site: seleon.com.br